Em meio ao período de pandemia que estamos vivendo, muitas atividades em nossa rotina foram alteradas e precisamos nos adaptar a essa nova realidade, respeitando a necessidade do isolamento social. Na alimentação não foi diferente, sendo comum o relato de pessoas com alterações no hábito alimentar. Conforme dados divulgados pelo projeto ConVid (pesquisa de comportamento da Universidade Federal de Minas Gerais), o consumo de alimentos saudáveis (in natura e minimamente processados) diminuiu durante o isolamento social. Além disso, houve um aumento na ingestão de alimentos congelados, embutidos, ricos em gorduras e açúcares. Também os índices de consumo de verduras e/ou legumes, em cinco dias ou mais por semana, caíram de 37% para 33%. A ingestão de alimentos saudáveis, por adultos jovens entre 18 e 29 anos, registrou taxas de apenas 13%, enquanto aproximadamente 63% estão consumindo alimentos ricos em açúcar em dois dias ou mais da semana.

Estes dados servem-nos de alerta e convidam-nos a fazer uma reflexão sobre como estão os cuidados com o que estamos consumindo, visto que os alimentos podem auxiliar ou prejudicar nosso sistema imunológico, sem contar que hábitos alimentares ruins favorecem o surgimento de doenças crônicas e obesidade, que são fatores de risco à saúde. Por isso cuide-se, pois comer de forma equilibrada e saudável proporciona-nos mais saúde, qualidade de vida e longevidade.

 

Franciele Machado Wermann – Nutricionista CRN-2 12760