Outubro, mês de todos nós: crianças! Outubro, para muitos de nós, é lembrado como o mês das crianças. Nas famílias, nas escolas, no comércio, em toda a sociedade, esta é uma data festejada e aguardada, principalmente pelos nossos pequenos que desejam e anseiam pelas surpresas e presentes que lhes são preparados. E a alegria dos adultos é ver o brilho do olhar, a felicidade das crianças ao receberem atenção e carinho.

 A infância é um período fundamental na formação da personalidade, caráter e modo de agir de uma pessoa. Por isso, gostaria de convidar a todos para pensar na criança que fomos um dia, que vive dentro de nós e principalmente, cuidar dela. Quando falamos em criança, nos vêm à mente algumas características que lhe são próprias, como a inocência, a espontaneidade, o carinho, a criatividade, a ausência de preocupações, a imaginação, a alegria, dentre tantas outras emoções que permeiam as lembranças da infância. 

Contudo, é importante ressaltar que nem todas as lembranças da infância são boas; algumas são, inclusive, bastante amargas. Muitos na infância tiveram feridas emocionais que não foram solucionadas e mantêm as memórias de abuso físico e emocional, negligência e outras situações traumatizantes que possam ter ocorrido. 

Essa criança interior vai nos acompanhar durante todo o percurso da nossa vida e influenciar em nossa decisões e comportamentos no nosso cotidiano. Quando a criança interior está interagindo em nós de forma saudável, ela nos traz coragem, entusiasmo e equilíbrio. Faz com que as experiências dolorosas sejam transformadas em compromisso com o bem e em compaixão, podendo também tornar-nos mais capazes de transmitir amor à nossa família e nas diferentes realidades em que estamos inseridos. 

Para termos um mundo mais saudável e feliz para as crianças de hoje, é primordial que o adulto em nós possa ajudar a sanar as dores da criança interior e buscar as ajudas profissionais adequadas, quando isso fizer-se necessário. Cuidar e respeitar as crianças é tarefa super importante, pois é alicerce de todas as outras etapas da vida. Zelar e proteger a infância é construir as bases de uma sociedade melhor, um mundo mais humano e vivível. Eis por que esta data tem que ser comemorada e muito amada por todos nós!

 

Ana Beatriz Reckziegel Marques

LP.: 687; Pp.: 1648