A saúde mental torna-se pauta nas diferentes áreas de atuação, e a atenção e o cuidado psíquico junto aos trabalhadores constituem-se como uma exigência do Ministério do Trabalho. Prezando-se assim por condições trabalhistas adequadas, pela manutenção de uma prática segura e pela saúde num sentido integral. 

Pensando na ordem psíquica, as questões emocionais estão diretamente ligadas à cognição e ao comportamento humano; portanto, funções como a atenção e o raciocínio lógico (fundamentais no trabalho) podem ser afetadas pelas desordens emocionais. Por conseguinte, o adoecimento e o comprometimento da saúde mental podem interferir diretamente na execução das tarefas trabalhistas.

Visando à preservação da saúde num sentido integral, as avaliações psicossociais são exigidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego, sendo preconizadas pelas Normas Regulamentadoras (NR’s) para a atuação nas diferentes funções que envolvem risco.

Para a preservação da saúde física e mental, avaliam-se diferentes condições de trabalho por meio das NR’s. Confira.

  • NR 10: Instalação e serviços de eletricidade.
  • NR 11: Transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais.
  • NR 20: Inflamáveis, combustíveis e plano de resposta à emergência.
  • NR 33: Espaço confinado.
  • NR 35: Altura (acima de 2 m).

Elas compreendem o processo de entrevista, aplicação de testes validados e a elaboração do laudo psicológico de aptidão ou inaptidão.

As avaliações psicossociais são utilizadas como parte integrante da emissão do Atestado de Saúde Ocupacional em situações de admissão, mudança de função e avaliação periódica. Contribuem diretamente para que as empresas mantenham em seu quadro funcionários aptos para as diferentes ocupações e setores, reduzindo riscos de acidentes e causas trabalhistas. É importante que sejam realizadas de forma periódica, pois avaliam a aptidão dos trabalhadores naquele momento específico.

 

Psicóloga Cristina Piva Chiesa, CRP 07/32116.